fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

quinta-feira, maio 16, 2013

SANTA MUERTE CAP. VII/ VIII



Capítulo Sétimo

-Doutor Bruno, ah! ah! Quem é que você quer Adriano?  No instante em que o macaco se prepara para cortar a cabeça do médico. Alguém bate à porta.
- Doutor, a próxima paciente, já chegou. Eu peço imensa desculpa, mas houve uma fuga de gás - dizia uma voz.
- Lilith, gritava o médico.
- Sim, sou eu, doutor!
- Mande sair toda a gente, daqui. Por favor!
- Doutor , está se a sentir bem? Responda.
O médico vê que ainda tem tempo para irritar o macaco, deixá-lo gabar-se e por de fora toda a sua vaidade. Afinal, era aquilo que ele sabia fazer melhor. E estava prestes a terminar. Só faltava mais um pouco para que aquele gorila de ginásio caisse do trapézio. EStava então tudo programado para o deixar irritado e enervado e necessitar de um cigarro para se acalmar. O que aliás já estava ali à vista...
- Então, Adriano não consegue acabar esse trabalho? Antes tivesse uma picadora moliness!É tão imbecil que não consegue homenagear o nome do imperador Adriano!
- Não foi Aníbal Alexandre? - perguntou Macaco Adriano seguro de si .
- Ou você leu um compêndio de História em 8 minutos, e confundiu tudo !Ou só conhece os nomes dos nossos políticos, Aníbal, há o Cavaco Silva ,Alexandre ...Adriano ...
- São tudo nomes ... -disse O macaco irritado .
- Agora , preciso de fumar um cigarro .
- Meu Deus, que incompetência! Um criminoso deixar o seu trabalho a meio, eainda porcima  por  causa  de um cigarro! Ah! Vê se mesmo que escolheu o nome de uma criatura de um programa de televisão dos anos 90, você não é assim tão culto quanto aparenta, não é Macaco Adriano? Está com saudades do Big Show Sic é?
Enquanto,  o médico entretém o presumivel assassino . A verdadeira Lilith vá de retro telefona para a polícia . Chora compulsivamente .
- O meu único trabalho! Porque me fui  enganar, por um fulano do ginásio? Porque fui tão burra, inspectoraEmília ? –pergunta elka abraçando-se à boneca de pano .
- Você não tem culpa, Lili! A Culpa é deles que nos levam para onde querem. Querem se equiparar a um deus do Olimpo, ou aos deuses que embarcaram na viagem subterrânea com Ré!Os homens julgam que têm tudo, mas não têem metade do nosso raciocínio. Eu que o diga segui um até aqui apaixonei-me por um ser humano , enquanto era boneca..e. ele tirou-me as pilhas do doutor Caramujo...
- Inspectora, isto não é consultório sentimental, para isso existe o Júlio Machado Vaz …ou a outra a Marta Crowford... você desiludiu-me muito , inspectora Emília!
- Ora, eu sou uma pessoa!
- Nâo é uma pessoa, é uma boneca de pano!
Naquele instante, a polícia entra dentro do consultório. Junto à entrada está um computador com a voz de Lilith que pergunta ao médico:
- Posso entrar, Doutor? É para entregar as fichas dos próximos pacientes?
- AH! Ah! Digamos que você não prima pela inteligência , Doutor!
Eu sou muito mais inteligente, tive o mérito de me disfarçar de gaja...Deixá-la aqui, vai ser um festim para os ouvidos e para o meu motosorra...
- Gaba-te cesto !- pensa o médico
O médico olha em redor para ver a sala. Pisca o olho em direcção à porta entreaberta.
- Nem nos teus sonhos mais secretos, o Freud deixar-te ia sonhar isso! Pode entrar, Lilith...

Adriano continua a debitar os seus planos. Até que vê uma luz vermelha a apontar para ele.
- Oh, seu filho da mãe!
- Mãos atrás da nuca, Macaquinho! Vamos você está preso! Acabou a sua palestra! Vai ter uma outra prova, amiguinho. Na prisão é que você vai explicar a sua tese! Vá! Andor!

Capítulo  Oitavo
Hospital Nossa Senhora da Morte

Neith atende o telefone no momento em que a Toupeira e o crocodilo estão com ela. A médica sorri. Ao mesmo tempo que vai falando, vai dando instruções aos colegas e cirurgiões que se dediquem o mais rapidamente e tenham a maior concentração naquela operação. Nada pode falhar. A Toupeira está intrigada com a situação e questiona o crocodilo:
- Sobeck, não achas estranho que tenhamos tão depressa os olhos? Há aqui qualquer coisa que me escapou...
De súbito lembrou-se... dois anos antes numa das suas investigações, no caso da cantora pimba Carochinha, ex-mulher de João Ratão, descobrira que o seu filho fora viciado por um médico muito estranho.
Não sabia quem ele era homemou mulher... não havia qualquer a ligação. A forma como o jovem fora viciado pelo estranho médico. E mais... a como o médico obrigara a mãe do rapaz a arranjar a morfina, dentro do hospital, para a apanhar propositadamente! Nunca ninguém dera conta do caso. Mas agora aquela rapidez... Tudo aquilo estava diante dos olhos de todos... aquela médica era o médico já muito velho! Fosse lá quem fosse, mulher ou homem, com aquelas tendências estranhas! Mãe de um crocodilo é que não podia ser? Como é que ela amamentrara o filho? Meu Deus até podia ser uma questão de uma criança... mas aquela mulher premeditara tudo.
No corredor do hospital, Neith marca um número de telefone. Inesperadamente a chamada vai para as mensagens. A médica faz um ultimatum em mensagem.

- Adriano, és tu? Como estão a correr as coisas aí? Aqui é um passo de ser descoberta! Temos que fugir daqui . Tens que fazer alguma exigência! Eu estou farta de bonecos! Não sei como fomos incluídos nesta palhaçada! OU duas uma, ou tomas uma atitude , ou morres! Decide-te!
EStou farta de trabalhar com imbecis! Decide-te! SE tu não fizeres nada, uma exigência... sou eu que irei tomar conta do recado! BY! BY! Tens uma hora! Tchau!

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home