fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

segunda-feira, outubro 24, 2016

Minha experiência trabalhando com outras culturas, de Sergio Garcia

Minha experiência trabalhando com outras culturas*

No ano 2012 eu coordenei o Projeto de Digitalização dos Cinemas No México, América Central e América do Sul. Para isso, eu tive que viajar a muitos países e trabalhar com pessoas de muitas culturas diferentes. Foi interessante, mas difícil, especialmente quando chegamos ao Panamá, porque a equipe de trabalho tinha pessoas com origens variadas: os técnicos do fornecedor eram americanos, dois técnicos de Cinépolis eram colombianos e o outro era peruano, as pessoas do cinema eram locais (panamenhos) e eu, o líder do projeto, mexicano.
Os nossos técnicos (os colombianos e o peruano) falavam um pouco de inglês, mas nunca gostavam de falar diretamente com os americanos. Eles sempre vinham comigo e falavam dos seus problemas com os americanos, queixavam-se muito, e eu então, juntava-os, e tentava entender as diferenças que eles tinham, chegar a um acordo, e que todos voltassem a trabalhar. A coisa funcionava bem algumas horas, mas depois, algum outro problema acontecia. Por exemplo, numa ocasião, o colombiano veio comigo para dizer que os americanos tinham “roubado” as suas ferramentas de trabalho. Os americanos já tinham voltado ao seu hotel, então eu tive que chamá-los por telefone, e eles, muito zangados, disseram que não foram eles.... Depois duma longa investigação, descobri que um panamenho as arrumou na despensa do cinema.

No final, pudemos completar os trabalhos no prazo estabelecido, e não tivemos que fechar as salas do cinema nenhum dia, mas decidi trocar completamente a maneira de trabalhar com os técnicos, deixando as responsabilidades e as faculdades mais claras, e procurando que as diferentes equipes falassem entre si, sem a necessidade de que eu estivesse sempre no meio.

*Sergio Garcia (México)


Nota editorial:
Este texto foi elaborado numa aula de Português, o autor é meu aluno no ITESM, Campus de Morelia.

Etiquetas: ,

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home