fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

segunda-feira, dezembro 08, 2014

Capítulo Sexto Fotossíntese


Benedita sentia o mundo desmoronar-se diante de si. Uma tempestade caía dentro da sua alma, era uma vítima do destino que se rompia.

“Somos pequenas vítimas  do destino predestinadas a sofrer. Quero falar contigo amiga. Não morras”. Ouvia uma voz como se fossem ondas werstianas, misturadas entre canais de rádio, havia uma espécie de maldição premeditada por  um oráculo. Depois de ter saído dali andou  de um lado para o outro. Tentava redimir-se . Era assim a esperança. As suas lágrimas eram golpes de faca cortando-a aos pedaços. As lágrimas eram no fundo uma manifestação do divino. Um tormento. Nunca fora ligada a Madalena, mas admirava-a. Sabia como era amiga dedicada.  "O castigo está na consciência. Em certas alturas não nos conhecemos, talvez porque não conseguimos usar a emoção e pensar nos momentos que convivemos. O funeral determina estranhas memórias, recordações . Pensamos demasiado  e não sabemos aproveitar  os momentos que temos. Todas as pessoas que estiveram conosco mereciam pelo menos um autógrafo, um registo digno de memória. Tu eras a deusa da estabilidade. Dura será a vida sem o teu lugar onde ficará um enorme buraco por preencher . Por mais que nos esforcemos  tudo é tempo perdido já nada é igual a antes. "Ela sabia  que a sua amiga iria ser enterrada na humilde terra para se decompor na presença dos infalíveis bichinhos da terra , ela havia de surgir na manhã da minha memória. Benedita sabia que Madalena venceria o Tribunal de Osíris e se tornaria num dos deuses que havia investigado.




AS três figuras representam não só a doença, os seres intermediários entre os deuses assírios e os reis, assim como os pássaros da alma egípcios que determinavam a vida e a morte dos seres humanos. Nesta história eles também poderão ter a sua intervenção caso vocês quiserem é só escreverem. Aguardamos a vossas propostas .

Nada daquilo era possível. Nada daquilo se passava. Não tinha capacidade para pensar em mais nada. Entre o mundo  da lua Benedita olhou para o jovem  que estava parado no trânsito e parecia que se conheciam à muito. Via o seu rosto na multidão sem  fim onde ela era a sacerdotisa e ele o rei.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home