fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

sábado, maio 25, 2013

SANTA MUERTE Cap.25, 26 , 27

  •  Japão, 2013
  • No momento em que Misey termina o desenho onde o poderoso chefão Mister Ming( o cientista louco e inimigo de Flash Gordon dispara contra Arlete e Teletubi Maçon o lápis parte-se inexplicavelmente . O jovem desenhador tenta ainda procurar uma afia . Mas em vão . Nada . Até que ele vê à sua frente o imenente chefe e poderoso Ming .
  • - Dê-me o lápis ! Ou então faça o seguinte ! Destrua essa história ! Eu não gosto nada ! Roubei a parte anterior ! E quero que você deite tudo fora ! Quero que coloque a história na América Latina, na Colombia , no México , onde não haja fantasia ! Eu quero dominar o mundi das artes ! Vou levar você comigo !
  • - Como assim ? -pergunta Misey .
  • - Lembra de Soho ?
  • Como não esquecer daquela criancinha singela ?
  • - Ela está nas minhas mãos ! Basta um não , qualquer coisa fora ... pode dizer adeus à sua menina ! A escolha é sua ... mas você é que sabe ...
  • Londres, 2013 ( Mundo Real)

    - Quem é que deixou isto aqui? -perguntou Bambi.
    - Não sei, deixou um bilhete ao seu cuidado. Dizia ser barrigas de freira, uma espécie de mimo... - disse a enfermeira apreensiva.
    - Eu lembro-me dele, disse uma mais nova. Disse que você ia adorar... Disse chamar-se Barba Azul da Operação Xerazade.
    Nesse instante, Bambi Macho lembrou-se quem era a pessoa em questão. Era pura e simplesmente o Doutor Hanibal Letter. Há muitos anos atrás eles escreviam-se. O veado procura saber de que forma seria um perfil de assassino, canibal e referências literárias. Fora assim que iniciara a sua veia da investigação na altura fora crítico de culinário e de restaurantes. Ficou conhecido por ser a Anne Wintour da culinária... os seus comentários sarcásticos levaram-no a escrever em revistas cor de rosa e a envolver-se em casos onde foi odiado por diversas pessoas. Entre eles estavam o eminente Rabicó ao qual haviam suspeitas de que os dois planeavam matar-se um ao outro e que sem o outro saber escreviam-se os dois com Hanibal Letter . No entanto nunca ninguém chegou a provar nada, até aquele  dia . O psiquiatra estava em Londres e tudo estava a voltar à normalidade.

    - Eu preciso de falar com o Psiquiatra. Preciso de ver quem é esta pessoa. Se é mão humana, ou é um dos requintes da Santa Muerte - disse alto o boneco.
    - Ai meu Deus, para o que eu havia de estar guardado! -disse um segurança. Assegurar a vida de um boneco que ainda por cima pode criar um incidente internacional...

    Japão, 2013 ( Mundo Real )
    O telemóvel toca. Maikai atende. Do outro lado ouve-se uma voz sarcástica
    - Essa menina adorável... separou-se de você, pelos seus ideiais retrógadas de fazer artes , escrever uma banda desenhada inovadora que retomasse os velhos mitos, a sua história será uma sequência na Amazónia e terá que reencontrar as nossas velhas amigas. Neste momento aquele bambi brasileiro recebeu um maravilhoso presente de barrigas de freira, cabe a si desvendar e encontrar o assassino. Você terá um mês para descobrir quais as receitas que O veado vai receber e que personagens representam...
    - Espere...
    Naquele instante a chamada cai....

    Prado do País da Fantasia

    Arlete e Teletubi correm para uns arbustos, enquanto o vulto corre atrás deles. A jovem carneira ouve um rugido e compreende que o ser que tentou atingi-los é um pássaro sobrenatural em forma de lagarto pré -histórico com uma língua de fogo.
    - Cuidado, Tubi! Ele é um pássaro pré-histórico! Vamos esconder-nos!
    - Mas onde? -pergunta o Teletubi.
    - Aqui não! Ele desfaz-nos!
    -Nem é tarde nem é cedo! Vês a chave da minha cabeça... roda-a para atrás segura-te a mim... Agora a mala que aqui tenho, há uma arma escondida. segura-te assim que me nascerem umas asas, vamos procurar o ninho dos bichos e atrair a mãe... Anda roda a chave...

    - Ui! A bicha está aproximar-se!
    - Não consigo!
    - Por favor, Arlete? Estás espera do quê? Que o pássaro nos dê a benção e nos case?
    Naquele instante o pássaro desce em direcção a Arlete e Teletubi...

    Capítulo Vinte e Seis  
    A ave começa a piar em tom de ataque . Aproxima-se de Arlete e Tubi Maçon.
    - Tubi , a ave é Carochina ! -grita aterrada a carneira .
    - Vamos depressa... Isto só pode ser um pesadelo, será que não podemos falar com o Doutor Bruno?
    - Se é uma Carochinha , não temos tempo . A Emília sempre teve razão em desconfiar dela ...
    - Aproximem-se meus filhos , disse a ave . A ave tinha uma forma de carochinha com uma carapaça de águia ,rabo de serpente que disparava fogo contra a hélice de Teletubi Maçon .
    Tudo isto não passa de uma vigança contra um rato que me torturou , obrigou a prostituir , eu tornei-me nos piores dos monstros , capaz de me transformar em todo o mal ... eu sou o ser que todos procuram anseiam . Eu sou a Santa Morte , alimento-me da vigança , de traficantes , prostitutas , homossexuais , no meu ninho estão todas essas criaturas desprezadas pela sociedade . Eu decidi vingar-me da sociedade , eu sou o chinês Ming , sou Xerazade , sou eu que decido esta história , eu matei todos os que se meteram à minha frente , ceguei a Toupeira , dei-lhe um sinal de requinte à sua história . Lindo . No futuro ele será estudado por teóricos da literatura . Os bons passam ao lado , agora os doentes mentais , os estrategas, os assassinos são aqueles que ficaram na história . Quem não fala ainda hoje da Condessa Hungara sanguinária ? No futuro falarão da Carochina monstro que se vingou da sociedade e dividiu todos para reinar . MEU REINO COMEÇOU ! Ah !AH ! Chegou a vossa hora ...

    Capítulo Vinte e sete

     

    Japão , 2013

    Misey olhou novamente para os desenhos para ver o que lhe escapara .Desde miúdo que tivera aquele dom desenhar cada vez que sonhava . Diziam os antigos egípcios que os seres humanos ao sonharem , saíam por momentos do seu corpo e tinham a capacidade de entrar noutros universos . Ali naquele mundo da Duad , como ele chamava ao Vale da Fantasia onde estavam a Carnerinha Arlete e o super hélice Teletubi numa aventura poderosa contra o monstro Super- Muerte deu-lhe uma estranha capacidade de ver afinal quem era o monstro e  porque razão o Senhor  MIng o procurava . Não havia nenhum bicho daquele género , não era só apenas uma história de ficção científica que lhe estava a a escapar , mas também as personagens tinham vida e sentimentos próprios . Afinal Ming estava em todo o lado, ele era uma espécie de Deus invertido , a encarnação do mal , mas que se inspirara na Carochina e que a matara ,comera aquele insecto com o maior prazer . Em Londres , apresentara-se a Bambi Macho como Hanibal Leter e dera-lhe como presente uma freira . Não era uma freira qualquer , fora a grande paixão de Misey , uma jovem portuguesa que ali vivera muito atrás no Japão. Na altura , a jovem dissera-lhe que não podia abandonar e trair o seu grande amor . Qual não foi o seu grande espanto que descobrira que o seu grande amor era Cristo .
    - Meu Deus ! -pensou o desenhador . Fui ultrapassado por um conceito . Como é que é possível ? -perguntara ele na altura .
    - Tu és oriental , não vês a mesma coisa como nós vemos , até a questão e o conceito , de passado , presente e futuro , vocês olham de maneira diferente . Eu vou avançar em direcção ao futuro .
    - Passado , caranguejo , para trás ... disse ele a rir , num português péssimo .
    - Sim , também não me quererás contar aquela piada de Woddie Allen " Mal começo a ouvir Wagner , tenho vontade de invadir a Polónia ? " Ou será que traduzindo a letra dirás" Mal vejo o tetro nó e recitar poesia Haiko tenho vontade de te impingir .haruki Murakami para o plano nacional de leitura.."
    - Isso não Rosário , disse ele num inglês perfeito .
    - Todos nós temos os nossos pecados,se calhar podíamos fazer como os judeus, atirar os nossos pecados ao rio, disse a portuguesa .
    - Não me digas que eu sou o teu pecado ? -disse ele por fim em japonês chorando .
    - Não ponho as coisas nesse tom,o tempo como diriam os antigos egípicios" é um perpétuo presente".
    - Como é que podes ser tão confusa ? -perguntou -lhe ele .
    - Defendo-me do ser humano , disse ela .
    - Como é que podes dizer isso ?
    - Tu és uma menina que sempre teve tudo , e talvez isso tudo seja um capricho .
    -Vou para onde precisem de mim ...-disse ela .Nunca mais se viram... Mas agora aquelas fotografias onde mostrava ela ser violada , a ser recortada com todos os requintes de malvadez ... e ao que parecia havia sido filmada como uma espécie de filme ...
    Misey teve que correr à casa de banho e deitar tudo para fora . Uma agonia tão forte de nojo e ódio por todas aquelas pessoas ... A memória do seu rosto singelo , da sua calma protectora ,havia sido para todos um grande conforto , até para os assassinos .Que ironia ! Meu Deus , que revolta !

    Fora então que soubera onde Rosário estivera numa comunidade de religiosas na América Latina ajudando os mais necessitados . No fim tivera uma morte terrível , quando fora negociar por um ingeniudade ou por casmurrice . Soubera-o por aquele monstro .O monstro dera-lhe um envelope que confirmava a sua história onde ele sorria feliz à sua frente . Quase esteve para lhe dar um murro, para o partir em dois , mas conteve-se ...abriu o envelope ... viu uma duas fotos.
    Ele tinha que fazer alguma coisa . Vingar-se . Destruir aquela história policial , aquela história simbólica e transformar-se num daqueles traficantes, sanguinários e correr o risco de ir até à Amazónia , Colombia e quem sabe no fim escrever uma banda desenhada . Criaria uma personagem , um daqueles empresários que ir para América Latina explorar as riquezas ilícitas da floresta Amazónica e não só . Estava decidido a fazer vingança , destruir aquele homem que lhe matara o grande amor e tinha a sua filha... Era tudo uma questão de segundos . Era só esperar ... Não havia nada a fazer . Estava decidido a seguir até aos confins do mundo . Nem que fosse a última coisa que fizesse na vida ...
    Capítulo Vinte e  Oito
    Um grito estridente era o que se ouvia naquele disco . Um som estridente comos e tratasse de um pavor de um medo . Vendia-se bem . Era mesmo aquilo que um grupo den teenagers góticos adorava . Histórias de cemitérios , maldições e cabeças de abóbora , magia negra , vampiros ,homens e mulheres em estado de degaradação que diambulavam perto dos riachos .
    Lukas era técnico de som . Não deixou de reconhecer um grito de dor , de uma voz , de uma mulher . O som de sinos , o corte de navalha , o jorrar de sangue ...
    - Há algo aqui que não soa bem ...
    A seguir o som de um motoserra ,depois o som de uma caixa de música de uma bailarina que dançava ao som de um motosserra e que caía e se espatifava em cacos .
    Novamente o mesmo grito . Depois o silêncio , as ondas do mar e novamente um hino em latim ritmado .
    Um grupo de pessoas que andava . No meio daquele local uma árvore nascia no meio do sangue , folhas cresciam de um verde florescente e uns olhos vivos , depois os seus braços transformavam-se em ramos . E no fim o resto dos ossos nascia um presente , uma gota de sangue , uma falha de madeira que em seguida eram transforamadas em pérolas , esmeraldas e diamantes . Alguém dissera um dia que o corpo humano podia ser comparado a frutas , a pedras preciosas e os corpos dos deuses a pedras preciosas . Naquele instante nascia ali a deusa , a senhora da vida e da morte . Antes era uma religiosa , agora a sua atenção vivia pela sua sobrevivência no meio da selva Amazónica .Decidira ser metade mulher , metade árvore . Enquanto mulher era Eulália, a jornalista, a amazona , aquela que decidia a vida dos homens , daqueles que deviam continuar a viver se lhes pudessem dar descendentes . Foi num desses momentos que a árvore viu descer numa canoa Misey . Nesse instante as suas folhas soltaram lágrimas de sangue , saudade . Mas a maldição não a deixava sair dali . Ela só poderia sair à noite . Era o que faria se conseguisse escapar ....

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home