fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

domingo, abril 17, 2011

Quem tem medo do lobo mau?

Atribuímos a Nicolau Maquiavel toda a aprendizagem da corrupção mas no mundo é necessário descer-se muito mais baixo para se atingir todos os objectivos.Num desses raros momentos de suaves prestações a Deus onde observamos a sua coroa iluminada, nunca pensamos tomar o curto caminho para acompanhar o Capuchinho Vermelho se não fossemos nós lobos sedentos de sangue puro, mas a verdade é que não sabemos de onde é que vêem essas histórias de lobisomens e vampiros? O que é certo é que Maquival nasceu provavelmente na altura em que a Roménia era uma província italiana. Se repararmos, a maior parte dessas palavras têm uma consonância filológica muito idêntica à do italiano, são considerados latinos também. O que é certo a história do homem ser lobo do homem, nãotem a ver com Perrraut, ou outros autores infantis do século XIX que começaram a estudar as lendas e os mitos. Aqui a questão tem a ver com a essência de novas formas, de se estudar os mitos e as lendas. O que não se não o lobo e o morcego a mesma coisa? Que o Arturo Branco que estudou esta temática para a sua tese de mestrado. Escrevo esta crónica hoje, para vos convidar a olhar para a lenda (como parte do mito que se integrou no local e faz parte da sua característica) bem como a do mito (universal).

Podemos ler Pierre Grimal, Carlos Zimburgo, Adolfo coelho ,mas chegamos à conclusão de que nada está feito. Na história das mentalidades, na história cultural , só nos interessa os debates políticos e não somos capazes de ver que alguns filmes , séries e novelas vão buscar estes mitos porque são pessoas especializadas algumas até investigadores académicos que largaram as cátedras e decidram depois de escre ver contos, romances, chegar até ao povo, tal como se fazia com os folhetins que hoje são temas de teses. Muitas pessoas que se dedicaram a estes temas, abandonaram as suas investigações, por falta d emeios ou de tempo, porque a investigação e a crítica tem muito de solidário como diria algum tempo atrás um escritor. Maquiavel, como todos nós apercebeu-se de que se deve olhar para um só senhor: o governo, a academia, nunca como aqueles desgraçados a quem nós chamamos vampiros ou lobisomens, porque acreditqavam naquilo que eram, independente da sua religião, como Vlad Tepes,“”religioso até ao tecto "( basta ler "O historiador "de Elisabeth Koslova e não essas “charopadas “ de Eclipse ,Lua Nova, ou Crepúsculo onde lobisohomens e vampiros que lutam entre si.
Façamos uma chamada de atenção, para quem quiser escrever histórias deste género. Vá às origens. Leia os documentos, que há pelos menos processos judiciais ( entre final do século XIX. Olhar para a dicotomia da Igreja Católica e ver porque é uns crêem na incorruptibilidade do corpo( são santos ) e na Igreja Igreja Ortoxa , essa mesma incorruptibilidade( seria vampiro seria das campas ). Pass a explicar a incorruptilidade do corpo deu a uma separação entre dois clãs católicos, onde não havia diferença entre lobisohomem e vampiros. Esse lobisohomem depois de morto saira da scampas e atacaria os osbreviventes ,levando a que muitos saissem d esuas casas .Aqui está a demosntração da IGreja Ortoxa e o poder de que uma ser levaria o seu grand epoder e terror... Ai daquele que vivesse nas redondezas, era vítima dos vampiros e tornar-se-ia num deles.

Há que levantar muita campa académica ,para que não haja só o mesmo género de estudos… Ou estaremos confinados a ficar sempre a olhar para o mesmo caminho, sem saber onde seguir se quisermos pensar por nós próprios. Quero deixar aqui uma palavra de gratidão a diversas pessoas que em Portugal me têm ajudado nesta matéria ao Luís ,ao Professor João Marques do Algrave, na Galiza, No Brasil ( são tantos, Como Márcia, Professora Lúcia, Arturo ) em Portugal quero agradecer também à minha professora de Antropologia Amélia Colaço que nos ensinou a ver a história sobre diversos prismas. Não sabemos se o corpo de Maquiavel se torenou ou não incorruptível, por isso é que nós estamos no estado em que estamos, E no caso de ser licenciado em História e ser mestrando em História Contemporânea pode se que nosso governo seja todo vampiro ou lobisohomem, porque o seu fadário começa aos doze treze anos quem sabe num infantário político onde se iniciem aí as primeiras actidades Maquiavélicas e que alguns emporcalhem o nome de Marx. Para terminar gostaria de oferecer nesta quadro festiva atodas essas pessoas um disco em vinil ou CD do Max “A Mula da Cooperativa “, ou ainda e convidar alguém a escrever um Maquiavel lobisohomem ou Vampiro. Cuidado com os ovinhos da Páscoa, pode ser que tenham lá uns dentes sanguinários revestidos com pele de lobo. Tenham todos uma santa Páscoa

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home