fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

quinta-feira, setembro 02, 2010

Porque é que as galinhas atarvessam a estrada ?

Adoro receber telefonemas. O que é raro, sou anti-social. Entenda-se. Pessoas como eu, devem receber apenas telefonemas anónimos. As pessoas são tão simpáticas que nos oferecem tudo: Cartões de crédito, seguros contra todos os riscos, poupamos na gasolina e ainda nos oferecem internet grátis. Tudo é grátis. E eles não fazem por menos. Até nos irritam. Até temos vontade de lhes perguntar: Sabe Porque é que a galinha atravessa a estrada ?
- Não , responde operador.
- Para atender uma chamada vossa. Mas como diria Hercule Poirot há que descobrir o verdadeiro culpado deste emprego fraude:
Falta de emprego,
Falta de oportunidade,
Part-time ( na maior parte dos casos )
Ganha-se ou perde-se tempo e ao mesmo tempo uma "pilha de nervos".

Quem está do outro lado da linha é obviamente burlado no princípio da sua nova profissão:
_ Não há forma de receber dinheiro pela formação, quando no formulário em letras tamanho micros cópio se pede que o operdor se recusa a receber dinheiro pela sus formação,

Mas não há nada que nos pague ou nos faça recuperar a auto-estima perante insultos , as questões deselegantes feitas
pelas pessoas que não compreendem as nossas situações.
Afinal de um lado e de outro os ânimos não estão pelos ajustes, há que se saber mentir e levar uma da outra parte ao desespero, quem se aterroriza mais?

Imagine que tudo ficaria como se fosse uma partida de xadrez. De um lado temos as peças brancas e do outro as pretas... ganha quem comer mais, assim também acontece com as comissões e noutras coisas... sobe quem é melhor comida ou comido, ou noutras coisas requisitar o melhor menu, não é necessário ser muito inteligente, o que vale é hipnotizar o ouvinte...

à cerca de dois anos, estive do outro lado da linha, ou melhor nas trincheiras... no telemarketing ouve-se de tudo, desde nos mandarem dar uma curva, ou nos conviadrem a jantar à luz das velas, ou mesmo até passar uma noite com elas ou nos piores dos casos... Ou nas recusas ...

O meu irmão que afinal é marido não chegou, emigrou, só volta pelo Natal,
A minha empregada (que é ela afinal a própria) perdeu a cabeça de momento e se esqueceu quem é...
Há outras que dizem que estão a guardar a casa aos filhos, eles não estão e com bandidagem que existe...
Outros dizem que têm muito respeito pelo nosso trabalho, porque têm familiares, tudo é uma questão de agressividade...

Neste instante uma Popota (a Supervisora) Como aconteceu comigo de hed - fones para poder ouvir a conversa correu e gritou-me:

Você não pode dar conversa aos clientes, dá muita conversa. O tempo é dinheiro. Estamos aqui é para vender... Não é para falar?

Oh, minha cara senhora Agripina (nome fictício) então a senhora naõ se esqueceu que para vendermos temos que engolir muitos sapos? Ou será que a Senhora sempre foi só Supervisora? Sempre foi adulta? Nunca foi criança? Então os operadores é o período sádico-anal como definiria Freud ?

Ouvimos de tudo... se não vendemos... as ovelhinhos correm junto do seu pastor... e têm cânticos d eadoração ao produto, o que mais poderiam fazer era trautear a música de Quim Barreiros

"Eu quero mamar nas mamas das Comissões (...)"

Mas este jogo de xadrez é composto por um jogo de hierarquias de diversas campanhas , umas atrás das outras Burclays, Meo, Vodafone, Plaiboy e obviamnete cobranças.
Qunato mais ganha o operador , mais é a hipótese dele evoluir, mas também pode ser a hipótese dele se destruir. Tem que se guiar pelo que está escrito, estudá-lo, como se fosse um exame de acesso à universidade...

Mas os exames são tão fáceis que até uma criança do sexto ano de escolaridade poderá responder, basta fazer desenhos. Ou criar atelliers de Verão!!!

Principalmente para as crianças estarem ao telefone. Lógico, elas não venderiam nada. Muitas vezes quem recebe as chamadas, não está para aturar operadores de teelmarketing, muito mais crianças armados em bombeiros da boa vontade. Mas no fim há aqueles que até nos respeitam e só querem falar das suas vidas.


O último dos retratos é aquele que os viúvos ou viúvas nos dizem: O meu marido / mulher faleceu (a)
Como é que nós podemos falar com alguém que começa a chorar? Obrigá-la a comprar o cartão epô-lo ao pé da camp a no dia de todos os mortos ( 2 de Novembro )?
Terá o marido possibilidade de fazer compras no além? Evitando assim lutas eternas que se passem anos e anos em lutas pelas heranças?
Por tudo isto e muito mais o telemarketing, não é racista, não olha à cor da pele, nem é discriminatório, até porque nem se quer vemos a pessoa que nos atende...

Afinal, eles nem sabem nem sonham que o telemarketing já não comanda a vida. Por tudo isto só dá vontade de perguntar:

Afinal, porque é que a galinha atravessa a estrada? Para não atender a chamada anónima do galinehiro... E mais não dizem ,porque não existem empregos certos, porque dali a um mês, uma semana ou outro período qualquer de contracto já não ali estão. Vão mas é trabalhar. Fazer qualquer coisinha pela sociedade. E esta hein?

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home