fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

segunda-feira, novembro 12, 2012

Fecho os olhos  e começo a contar para trás.
Um pássaro de fogo enorme, olha-me.
- Sabes quem sou eu? –pergunta-me o pássaro.
- Não, respondo eu.
- Tu, responde-me ele. Sou a vida que se acende e reacende , as quatro idades . A infância , a adolescência  a idade adulta e a velhice. Além , naquele jardim encontrarás uma estrela que deverás plantar numa árvore, para que a possas seguir , até encontrares apior das aves, aquela que é feita de pedra e irá colocar-te uma adivinha “Decifra-me ou devoro-te “. , diz-te ela ,. Mas tu, diz a ave nunca deves repetir a palavra homem, porque ela te irá iludir , levar-te-á a experimentar jogos, doces e aqueles que mais amas. Não lhe dês ouvidos! A esfinge automedica-se, porque lhe respondem a palavra homem. A esfinge ouve os gritos da sua mãe e amaldiçoar-te-á como fez ao rei! Se for amaldiçoado, deverás procurar um homem cego, mas sábio! Esse homem cego deverá dar-te uma nova oportunidade, caminharás sobre um jardim cheio de cascatas onde uma rapariga te irá ofercer uma maçã… Não aceites a oferta! Se aceitares… E deres a primeira dentada… dar-te –ás conta que a maçã se transformará numa corda e te levará a enforcares na árvore.
- Isso pode mesmo acontecer? –perguntei incrédulo com aquelas profecias.
- Isso, não sei, disse  a ave, porque acabas-te de o desejar esentis-te osabor de uma maça mais doce, forte que havia em todo o pomar, que se transformará em…
- O que devo fazer, ave?
- O melhor que deves fazer, rireres-te! Pergunta-lhe coisas , pede-lhe o número de telefone, se ela quer beber um café contigo ou se aceita um beijo teu… de certeza que irá aceitar…
Lá estava frente a frente aquela rapariga tão bela, como jamais havia alcançado, mas de repente algo mudou… fiquei gelado! Ela não tinha olhos, não era ninguém, dos seus olho saiam noite e quando olhei para as suas mãos eram esqueletos que suportavam uma foice. Foice essa que não era para ceifar  no campo, mas para ceifar vidas.
- Vai-te embora, jovem! –disse-me aquele ser frio, gelado, como o vento da  Sibéria  e as noites da Rússia. Ainda não chegou a tua hora !Tens uma vida pela frente! Não a desperdices… E disto isto… acordei. Por milagre  a minha febre havia desaparecido.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home