fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

segunda-feira, novembro 12, 2012

Contrato de leitura



A noite do Halloween faz-nos lembrar com cada coisa… Não é que me fui lembrar da história da Penélope, Telemaco  e Ulisses? Oh, meu Deus, não  devo estar nada bem!
Ainda por cima, com este trabalho que tenho que fazer… Senti uma brisa estranha, as folhas das árvores esvoassavam, tocando-me asperamente como se fosse a língua de um gato.
-Não temas, disse a voz. Eu sou a deusa Minerva. Aquela que estava presente nas acções mentais dos homens. Sou mais velha que todos os teus familiares juntos…
Não podia acreditar naquilo que estava a viver , seria pelas histórias cheias de fantasia, das partidas que me faziam, ou seria “uma pegadinha “como dizem os brasileiros
“Vou pagar p’ra ver “, pensei . Até que tive uma ideia maravilhosa… já que ela era mais velha como dizem os brasileiros .  Será que ela me podia contar a história de Ulisses antes de a escrever para a escola?
Imaginar o passado é tão estranho…
- Ah! Não queres imaginar…? Isso é mau… -disse-me a deusa.
- Então? –perguntei morto  de  curiosidade.
De um momento para o outro vi –me numa praia e aí olhei um homem dando à costa.
- Quem sou eu ? Onde estou ? –perguntou o homem de cabelos compridos e barba…
- Fala –disse-me a deusa. Agora falarás por mim, mas quando acordares não te irás recordar de nada, pensarás que foi apenas um sonho.
- Estás vivo, Ulisses –disse eu.
- Tu estás vivo, estás em  casa, depois de viajares durante dez anos. Estarás tu preparado …para enfrentar  a realidade?
- Porquê ? Muita coisa  mudou , Ulisses.O teu reino,a tua mulher é seduzida conquistada diariamente, e não é só pelos seus lindos olhos, mas também pela posição social…
- Ah ! Vou vingar-me deles , um a um e vou desfazê-los…
- Nada disso, vais disfarçar-te e eu faço tudo isso…
- Senhor…
Pouco tempo depois Ulisses estava irreconhecível e graças a mim, eu era um deus, um bruxo, aquilo que quiserem pensar de mim, mas estava  agir de acordo a minha consciência… Parecia um daqueles mendigos, um vagabundo! Estava uma lástima, o rei  que vergonha!

Apesar das dificuldades, Ulisses conseguiu ser reconhecido pela ama da sua esposa . Ulisses seguiu à  risca as minhas indicações,  que se passasse por mendigo e que fosse pedir esmola no seu próprio palácio e se apresentasse como pretendente da sua própria mulher…
Não era o máximo eu estava  a  ver tudo como se estivesse no cinema, só faltavam os óculos 3 D… até tinha vontade de comer umas pipocas…
Claro que não podia fazer isso, a deusa era tão rígida, tão séria que nem sequer podia cantar , dizia que Orfeu… o flautista desaparecera  à procura da sua amada, Euridice…
-Ah, desculpem –me estar  a contar-vos tudo, mas isto  foi tão maravilhoso, ver a forma como ele se apresentou. Apesar daquelas vestes pegajosas, rasgadas, cheias de nódoas e buracos…
Ele tinha um aspecto meu Deus …
Até parecia que andava ali na Avenida Luísa Todi  a pedir moedinhas… mas foi pedir moedinhas à sua mulher… e a parva não reconheceu, mandou os guardas expulsarem-no dali …
Como é que era possível estar a acontecer? Foi então que decidi agir por conta própria, sem  que a “deusa  que  me enerva “ me  estivesse a controlar…
Fiz com que aparecesse de uma só vez o seu càozinho Argus , tão giro, tão felpudo, e já muito velho que reconheceu o seu dono. Ladrou tanto que o palácio todo foi à janela…
- Ai meus deuses do Olimpo, já não se pode abrir as portas da casa  que vem toda a gente a correr?
- Ai , minha senhora o pedinte desmaiou, e está cheio de sangue, disse a sua ama de leite.
- Então leva-o para a salinha, dá-lhe de comer, lava-o, ou pede a umas das  escravas que o lavem, que aquilo parece  cheirar à cabeça da Medusa…
- Ai menina, e se daquele corpo saiem cobras…
- Euritreia, tens com cada ideia! Depressa antes que os cronistas vejam tudo, descrevam tudo .Ainda por cima aquele chato do Homero  que está aqui a fazer pesquisa para escrever um romance em verso, chamada Odisseia, diz que sobre  o meu amado Ulisses… Ai que saudades…
- Ah , menina , o que faço se aparecer aquele detective… o Hérodoto ?
- Outro que tem a mania  que só fala as verdades… leva-o para a biblioteca, ele que fale com os pretendentes, pede-lhe  que faça perguntas…
- Pois, menina, mas ele acabou de encontrar o tear desfeito novamente e foi contar tudo…
- Só me faltava isso agora, deixa-me pensar tens um pano e umas cordas?
- Mas para quê, Penélope? –perguntou ama cheia de curiosidade .
- Não faças perguntas, Euritreia. A curiosidade matou o gato… Vê se há nos armazéns se há um bom pedaço de madeira  e pede a um dos carpinteiros dar-lhe uma forma idêntica a um barco...
- Para quê, menina? –perguntou-lhe a ama.
 Não aguentei mais a curiosidade  e disse:
- Olha para fazer Kite surf… ele que vá andar pelas ondas ,para não meter água…
Minerva  ouviu os gritos de Penélope. A ama chorava… A deusa Minerva apareceu diante de mim  irritada, pregando-me um sermão:
- Menino insolente, arrogante e mimado.
-Como pudes te alterar o passado? Daqui a pouco temos cabines telefónicas a andar! Vou-te transformar numa coruja e só vais sair desse feitiço quando eu quiser…

Oh, meu Deus! Como podia adivinhar ?  Que vergonha transformado numa coruja e a deusa a tirar-me uma fotografia pelo telemóvel …Pouco tempo depois todos aqueles que cunhavam moedas colocavam um mocho com a minha cara… e Ulisses recuperou  tudo a que tinha direito…Casa, Trono, Filho, já que  a ama de  Penélope descobriu uma cicatriz quando olhou para os pés dele… O que foi feito do pai da história? Ao que parece foi para Haiti de prancha de surf, voando e visitando todos os países do mundo…há quem diga que é desde essa altura que as pessoas acreditam que existe vida inteligente fora da terra… Que estúpidas…
E Homero? Tornou-se o maior poeta… é por causa dele  que vos conto  isto tudo…
Como castigo da minha afronta, voltei ao dia em que a nossa professora de Português nos pede o final da história de Ulisses…

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home