fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

sábado, dezembro 12, 2009

Poesia de Gustavo Adolfo Bécker

Ndou veichéne (ñe'ẽpoty)

(Haihára)


[versão guarani]

Ou jevy va'erã umi mbyju'i hũ
ne rovetãme haity omosaingo,
ha ipepo opererévo i
cristal rehe
oporohenói jevy va'erã.


Péro ako iveve kuéra, omombytámiva
ne porãngue ha che vy'a ohecha haĝua,
ako ñande réra oikuaámiva...
umíva... ndou veichéne!.


Ou jevy va'erã ku umi yvotyeta
nde róga tápia rehe ojupi joa,
ha ho'ávo ka'aru la ipoty kuéra,
ojepe'a porãverei va'erã.


Péro ako ysapýgui henyhémiva,
ysapy jahechámiva oryrýi,
ha otykýramo, ñeimo'ã ára resay...
umíva... ndou veichéne!


Ou jevy va'erã ku nde apysápe
la mborayhu ojapo jevy ayvu,
ne korasõku upe okehágui
ikatu opáy jevy.


Péro embelesado, kirirĩ ha ñesũhápe,
ku ij
altarpe Tupã ja'adoraháicha,
ako che rohayhu haguéicha,
eipe'a ne akãgui... nderejehayhuvéi va'erã!


Rima LIII (poesía)

Autor: Gustavo Adolfo Bécker

[versão castelhana]


Volverán las oscuras golondrinas
en tu balcón sus nidos a colgar,
y otra vez con el ala a sus cristales
jugando llamarán.


Pero aquellas que el vuelo refrenaban
tu hermosura y mi dicha a contemplar,
aquellas que aprendieron nuestros nombres...
ésas... ¡no volverán!.


Volverán las tupidas madreselvas
de tu jardín las tapias a escalar,
y otra vez a la tarde, aún más hermosas,
sus flores se abrirán.


Pero aquellas cuajadas de rocío
cuyas gotas mirábamos temblar
y caer, como lágrimas del día...
ésas... ¡no volverán!.


Volverán del amor en tus oídos
las palabras ardientes a sonar;
tu corazón de su profundo sueño
tal vez despertará.


Pero mudo y absorto y de rodillas,
como se adora a Dios ante su altar,
como yo te he querido... desengáñate,
¡así no te querrán!.



Rima LIII (poesia)

Autor: Gustavo Adolfo Bécker


[versão portuguesa]


Voltarão as escuras andorinhas
na tua varanda os seus ninhos pendurar,
e outra vez com a asa aos seus vidros
jogando chamarão.


Mas aquelas que o voo refreiam
a tua formosura e a minha sorte a contemplar,
aquelas que aprenderão os nossos nomes...
essas... não voltarão!.


Voltarão as densas madressilvas
do teu jardim os muros trepar,
e outra vez à tarde, ainda mais formosas,
as suas flores abrir-se-ão.


Mas aquelas coalhadas de orvalho
cujas gotas viamos tremer
e cair, como lágrimas do dia...
essas... não voltarão!.



Voltarão do amor nos teus ouvidos
as palavras ardentes a sonhar;
o teu coração do seu profundo sonho
talvez despertará.


Mas mudo e absorto e de joelhos,
como se adora a Deus diante do seu altar,
como eu te quis... desengana-te,
assim não te quererão!.



NOTA EDITORIAL:

Agradeço o envio da versão em guarani e em espanhol a Ana Beatriz Sosa Coronel. A versão portuguesa é de Luís Norberto Lourenço.

Etiquetas: ,

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home