fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

segunda-feira, dezembro 22, 2008

O que é que Rakushisha tem ?*

Rakushisha, de Adriana Lisboa[*]



Parafrasenado uma música de Carmen Miranda poderíamos pois centrar a crónica de hoje num romance que acabei de ler e vos aconselho a ler e a ofercer para este Natal . As razões são mais que muitas . Para além de terem o contacto com uma das escritoras que se vêem a destacar nos últimos apenas com os seus 38 anos , Adriana Lisboa já ganhou o Prémio José Saramago em 2003 , mas não ficou só por aqui o romance que vamos seguir a seguir foi numa viagem com três persoangens (Alice , embora esta apareça em flash back , as outras duas Celina e Haruki estão na base de um diário e se centram numa história de busca interior . Essa busca interior vai centrar-se nas suas vidas através de um diário e das suas impressões sobre esse país . Para Haruki é a descoberta do país dos seus pais , filho de emigrantes que desconhece a língua dos seus pais . A sua ida ao Japão tem qualquer coisa de inspiração e de descoberta com a história que ele repudiu. O próprio encontro entre Celina e Haruki tem qualquer de cinematográfica : O que está a ler ? E ele responde não sei , tanto podia ser russo ou outra língua que eu faria os desenhos . Tudo isto tem a haver com a sua própria profissão e com o espírito do próprio Bashô : Ele habita o romance em frases curtas , dizendo apenas aquilo que os obejctos são e farão daqui a muitos anos , tal como Alice a filha falecida de Celina que a persegue nas suas memórias e ela busca uma nova forma interior , e de comprar roupas e objectos à filha como se ela fosse viva . esta é uma outra marca da poesia haicai . Ela já não vive , mas vive na memória . Daí que o próprio sub-título "A Cabana dos Caquis Caídos " seja um outro pretexto da lenda da cabana onde Bashô esteve por três vezes e o desabamento desta , leva a considerar diversos assuntos . Este é um romance que pode ser oferecido aos nossos amigos este Natal e sentimos uma tristeza tão grande pelas suas palavras terminarem . A descoberta dos três , do alento que se faz e o Diáro que irá ser traduzido mantém um cariz sobrenatural , ou simplesmente siga os dias e estações . Pode ser considerado um romance haicai . Ali estão todos os condimentos para quem quer redescobrir o Japão e centrar-se na literatura haicai e na voz da mais proeminente literatura brasileira , mas isso tudo poderão descobrir em Fevereiro quando ela apresentar o seu livro em Lisboa e estiver presente nas Correntes da EScrita . Por isso faço-vos um apelo façam com ele uma viagem ao país do Sol Nascente e sentirão como Bashô vos perseguirá para o resto das vossas vidas . Poderão olhar nos transportes públicos alguém como Celina e Haruki e dizer : Eu quero conhecer estas pessoas , ou pelo menos a sua mãe : Adriana Lisboa . Parabéns Adriana por um dos livros que farão parte daqueles que terão mudado a minha vida . ESte poderá ser a viagem à procura do sentido perdido da vida e do verdadeiro Natal , pode ser que em Fevereiro vos dará essas respostas todas . Rakushisha é o seu nome . A nova bíblia para quem quer encontrar um sentido em forma de diário ainda que de uma forma rápidas as suas palavras continuarão a fazer efeito como um antídoto algumas horas depois . Só apenas 131 páginas e a sua grandiosidade é forte , a força de grandes romances profundos que não esquece uma única vez : por isso vamos embarcar para O Japão e ver todos os locais ou se possível experimentar algumas experiências . E assim podemos responder o que afinal que Rakushisha tem Sol, tem árvores , primavera , verão , outono e inverno e as quatro idades da vida para compreendermos aquilo que fomos e podemos vir a ser . Estas respostas só BashÔ e a poesia haicai vos poderá dizer no livro seguidos pelas suas personagens secundários . Façamos um diário e dessa experiência a nossa voz . Boas festas e façam uma boa viagem!

*António Almeida

NE:
*Imagens inseridas pelo Editor do Blogue

Etiquetas: ,

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home