fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

domingo, julho 09, 2006

As brasas e os afectos [Editorial]*



Objectivos

Escrever a nossa história e divulgar a agenda tertuliana, intervindo sobre a actualidade, exercendo a Cidadania, são os nossos objectivos.

Já ditos e escritos, agora reafirmados, para que não restem dúvidas.

Este número

Chegados ao número 5 (seis a contar com o n.º 0), eis que brindamos os nossos leitores com mais uma revolução gráfica. Está a tornar-se num hábito!

Não se trata propriamente da apologia duma revolução (gráfica) permanente! Se bem que parece.

John Smith, liderando uma equipa do Cybercentro de Castelo Branco, é o responsável pelo novo grafismo da fanzine. Os conteúdos (a selecção e qualidade… ou falta dela) são da nossa inteira responsabilidade.

A realidade é demasiado dinâmica para uma publicação mensal, os obstáculos continuam a deparar-se-nos.

A cada obstáculo que se nos coloca, no entanto, saímos mais pujantes, logo que ultrapassado, fruto dum verdadeiro jogo de cintura e suportados numa fantástica REDE DE AFECTOS TERTULIANA.

Rede de afectos que também tornou possível a próxima iniciativa! (ver última pág.) Sobre os afectos, falaremos nessa altura...

Continuamos a divulgar o nosso Arquivo Tertuliano, onde fomos buscar fotografias de iniciativas, recortes de imprensa sobre a nossa história tertuliana, resumo e conclusões de iniciativas.

Jorge Costa, presente em inúmeras iniciativas da Casa Comum das Tertúlias, elaborou uma peça jornalística sobre uma delas. O tema: o referendo sobre o tratado europeu (e a constituição europeia). O tema era candente e a CCT colocou-o em cima da mesa para debate: franco e aberto, em Vila Nova de Paiva e em Castelo Branco. O assunto continua na ordem do dia de quem manda, não de quem mansamente obedece… Chame-se Constituição ou não, os princípios vertidos no texto são para levar por diante, com ou sem referendos nacionais. Não interessam as capas: a questão da denominação e sob a capa noticiosa do Mundial de Futebol e das férias de Verão.

Agenda tertuliana

Dia 8 de Julho, acolhemos Isabel Agos, pseudónimo duma poetisa com raízes na nossa Beira.

A poesia e o humor da Isabel, conjugados num espaço tertuliano: informal, participativo, democrático e que apela à reflexão, é o que espera quem se quiser juntar-se a nós.

O olvido não mora aqui

Não esquecemos que dissemos prever um aumento da tiragem da fanzine, gradual e para breve. Ainda não foi possível. Sem mais apoios não conseguiremos descolar dos 200 exemplares. Obtivemos um apoio à edição por parte da Junta de Freguesia de Castelo Branco. Estamos gratos. Foi importante, urgem outros.

Uma vez mais chegamos atempadamente às mãos da comunidade tertuliana. É um desafio muito importante que nos colocámos. Só não se conseguiu vencê-lo entre o número 0 e o 1º.

Brasas tornadas afectos

Começamos a aventura editorial deste nº sobre brasas… rodeados de afectos continuamos…

Pela Cultura.

Pela Cidadania.

Por Castelo Branco.



*Por: Luís Norberto Lourenço
(organizador e fundador da Casa Comum das Tertúlias)


P.S.

Editorial de “Tertuliando – Fanzine da Casa Comum das Tertúlias”, n.º 5, Julho/2006.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home