fanzine Tertuliando (On-line)

Este "blog" é a versão "on-line" da fanzine "Tertuliando", publicada pela Casa Comum das Tertúlias. Aqui serão publicados: artigos de opinião, as conclusões/reflexões das nossas actividades: tertúlias, exposições, concertos, declamação de poesia, comunidades de leitores, cursos livres, apresentação de livros, de revistas, de fanzines... Fundador e Director: Luís Norberto Lourenço. Local: Castelo Branco. Desde 5 de Outubro de 2005. ISSN: 1646-7922 (versão impressa)

sexta-feira, agosto 05, 2011

Uma história de vampiros diferente !

Há muito, muito tempo atrás no país da Pensilvânia havia um vampito mais estupido que eu conheci. Verdade seja dita que nunca entendi aqueles seres que só saiem à noite, e dormem num caixão com ar condicionado. Alguma coisa deve estra mal. Sim, porque geralmente todos os vampiros têm todos aquelas manias de não terem nenhumas manias. Apenas este decidira comer apenas Donuts. A bem da verdade, meus amigos. Este vampiro se fosse vivo havia de ter diabetes, ou se já não tinha…. Até a sua noiva , uma vampira de nobre condição social que só vestia do bom e do melhor, mas que pagava tudo com cartão de crédito, ou na melhor das hipóteses porque tudo o mundo fugia a sete pés , porque a menina viscondessa tinha os dentes todos podres. - Donuts Valproico. - Muito gosto, o meu nome é Necessidade Compulsiva. Sou vampira zumbie. Sou de uma linha nobre que não consegue morder pessoas em idade de abate para nos alimentar , só gosto de velhinhos e pessoas com os pés para cova. - Ai homem , não diga uma coisa dessas, está me a confundir com o rei dos Gnomos. Cruzes canhoto , mil vezes ir ao Corte Inglês aqueles saldos fantásticos onde os pobrezinhos que não têem onde cair mortos pagam tudo com cartão de crédito… - Isso quer dizer que você é uma daquelas tias que não tem onde cair morta? , perguntou Donuts Valproico (O vampiro ET). - Não, nada disso Senhor Valproico. Naqueles dias estava lá de férias o Vampiro Chefe 666 Cadeado Canino que lhe disse : - Isto assim não pode continuar uma vampira com dentes podres? Tens, mas é que tratar desses dentes. - Ai , isso é que não chefinho eu tenho tanto medo dos dentistas, eles são como nós, descobrem-nos a carapaça… E foi assim que a Viscondessa ficou a podre. Guardada numa parede, numa galeria de um consultório de dentista de vampiros para lhes mostrar como é que eles ficavam se não mordessem ninguém. É o que dá morder nas pessoas de idade. Ah! Ah! E assim eles ficaram dentados para sempre.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home